A Croácia é um país com uma história longa e cheia de fatos históricos. Palco de guerras, conquistas, invasões… Contudo cenário do desenvolvimento da olivicultura em um ambiente quase isolado, onde foram preservadas árvores muito antigas e ainda produtivas.

O país teve sua independência reconquistada em 1.991 após a dissolução da Iugoslávia, país criado após a Segunda Guerra Mundial sob a Tutela da extinta URSS. A Iugoslávia foi criada com a “fusão” da Sérvia, Croácia, Montenetro, Bósnia e Herzegovina, Macedônia e a Eslovênia.

A propósito: A Croácia já apareceu na publicação: 44 países que produzem azeite e talvez você não saiba: Parte 2 de 5. Aqui a informação um pouco mais completa.

Origem da cultura

É um país cheio de lindas paisagens. Tem sua história ligada ao desenvolvimento da civilização, cuja ocupação de território começou na pré-história, mais especificamente no Paleolítico pelos neandertais: Vestígios arqueológicos são encontrados por toda a Croácia oriundos das eras Neolítica e Idade do Cobre (-3.300 a -1.200) sucedida pela era do bronze (-3.300 a -700) e ferro (-1.200 a -1.000) a.C..

Observações:

  1. As idades dos metais são superpostas, logo uma não sucede a outra em sequência imediata.
  2. Moisés viveu na idade do cobre (1.592 a.C.-?- e morte 1.472 a.C.), que citou as oliveiras como símbolo de paz, sabedoria, vitória, fertilidade, bem como poder e pureza.
  3. Na idade do Ferro as oliveiras chegaram às ilhas de Chipre, Creta e ao Egito, logo é de se supor que as oliveiras tenham chegado um pouco depois na Croácia, pois esta se encontra um pouco mais distante dos países que provavelmente forma o berço da Olivicultura. Outras outras fontes citam que as oliveiras teriam chegado ao Chipre e aos outros países mais cedo. Conforme citamos na história da oliveiras em Chipre:

… durante o período neolítico, ou seja, 7.000 – 3.000 a.C.. Esse período coincide com o início da ocupação d ilha por seres humanos, datada entre os anos de 8.200 e 3.800 a.C.. Contudo somente no final de 1.600 – 1.100 a.C. (meio da era do Bronze) começaram a ser mais cultivadas.

Oliveira pelo mundo: Chipre

Alguns fatos relevantes

  1. A produção de azeite na Croácia, em especial na região de Istria é relatada desde a antiguidade. Foram encontrados vestígios nas cidades de Barbariga, Brijuni e Poreč. Esses vestígios davam conta da atividade de produção de azeite e fabricação de ânforas (vasilhas para transporte).
  2. Segundo “thewineandmore.com”, em uma ilha da Croácia estão as oliveiras mais antigas do mundo: a ilha de Pag.Em especial ao norte na aldeia de Lu. São mais de 80 mil oliveiras de todas idades em um área de 86 hectares. Várias com mais de 1.000 anos e uma que alguns alegam ser a mais antiga do mundo, datada com 1.600 anos.
  3. Compete com a oliveira da ilha de Pag outra árvore na ilha de Brijuni, plantada por romanos na época do domínio do império, que também data com 1.600 anos, contudo essa que no ano de 1986 foi dividida por um raio. Após muita atenção e tratamento VIP, ou VIO (Very Important Olive Tree), a árvore voltou a produzir uma média de 30 Kg de azeitonas que rende um pouco mais de 4,5 litros de azeite por ano.

4. Na aldeia de Lun e em torno de Lunjskopolje as oliveiras são transferidas de pais para filhos ao longo das gerações. São produtivas e citadas no livro de receitas de Marko Gabi Apici. Os Croatas alegam que essas oliveiras produzem um dos melhores azeites do mundo.

LOCALIZAÇÃO

A Croácia tem fronteira terrestre com a Eslovênia, Hungria, Sérvia e Bósnia. É banhada pelo mar Adriático e do outro lado a Itália. O território começa aos pés dos Alpes Julianos no nordeste e a leste na planície da Panônia. Em sua região central começa sobre as cordilheiras de Dinara indo até o mar Adriático.

Possui uma área continental de 56.542 km2, mais o território em ilhas com 31.067 km2. No total: 87.609 Km2. Uma área menor que o estado de Santa Catarina no Brasil. Michigan nos EUA é ligeiramente menor.

Observação: São 1.185 ilhas, das quais 67 inabitadas. Com tantas ilhas seu litoras salta de 1.777 quilômetros para 5.835. As maiores ilhas são Krk and Cres.

Está localizada em uma faixa de latitude extrema da considerada ideal para a olivicultura. Praticamente todo território está entre 44ºN e 46ºN – Ideal teórico entre 30 e 45 graus, tanto Norte quanto Sul..

ÁREA PLANTADA E COLHEITA

A exemplo de outros países, a redução da mão de obra em atividades agrícolas na Croácia fica clara com os números abaixo. A colheita vem caiu em vários momentos mesmo com o aumento da área plantada. Provavelmente o fator de reversão dessa questão serão o aumento da mecanização da colheita nos próximos anos. No final dessa publicação citamos uma experiência com cultivo intensivo na Croácia.

1FONTE: http://www.fao.org/faostat/en/#data/QC

ONDE ESTÃO AS OLIVEIRAS DA CROÁCIA?

As oliveiras estão espalhadas por 900 quilômetros de litoral da Croácia, dentre continente e ilhas.

Conforme Köppen, alterado por ŠEGOTA, 1996.

Onde:

  • Csa – Relativamente quente e chuvoso. Chamado de “Clima das Oliveiras”.
  • Cfa – Clima relativamente quente úmido e quente no verão.
  • Cfb – Oceânico temperado
  • Df – Continental de verão quente

Existe uma regionalização das áreas de produção:

ISTRIA

Nessa região estão plantadas mais de um milhão de árvores. Acredita-se que o início da cultura local deu-se na época de jogos esportivos antigos, semelhantes as olimpíadas gregas, no primeiro século da era cristã.

A maioria das árvores é de variedades locais e algumas italianas, como: Buza, Istarska bjeclia, Crnica, Rošinjolo, Karbonaca, Oblica, Leccino e FrantoioIstria. O azeite produzido localmente frequenta constantemente lista de competições dos melhores azeites do mundo.

Observação: A oliveira mais antiga de Istria está no Parque Nacional de Brijuni e foi plantada no século IV d.C.

KVARNER

Essa região inclui uma faixa costeira onde são encontradas as oliveiras inclusive nas ilhas de Krk, Cres, Lošinj, Susak, Unije, Rab e Pag. Os registros datam as primeiras plantações no primeiro milênio da era cristã. A particularidade é que em alguns lugares, especialmente na ilha de Cres, a olivicultura divide espaço com a crição de ovelhas.

As variedades mais comuns na região são: Plominka, Slivnjača, Oblica e Drobnica Hrvatsko Primorje e Kvarner.

DALMÁCIAS

Das 4 regiões conhecidas como Dalmácias (Dalmátia), 3 regiões possuem oliveiras e somam mais de 4,5 milhões de árvores. O que é a grande maioria das plantas existentes na Croácia. Apenas na Ilha de Brač são aproximadamente 1 milhão de árvores. Essas regiões são as que recebem o maior número de horas de sol por ano: acima de 2.600 horas, o que resulta no maior sucesso do cultivo. São elas:

  1. DALMÁCIA DO NORTE (Dalmatia-Zaldar): Região com mais de um milhão de árvores continua aumentando. Inclui as ilhas de Dugi Otok, Ugljan, Pasman, Silba, Molat, Ist, Murter e Kornati. Dentre as variedades presentes encontram-se: Oblica, Drobnica, Levantinka, Mastrinka, Karbunčela.
  2. DALMÁCIA CENTRAL (Dalmatia Šibenik): A região de Maslinarska é onde se encontra 40% de todas as oliveiras da Croácia. São 2 milhões de árvores aproximadamente com predominância dos cutivares: Oblica, Drobnica, Levantinka e Lastovka
  3. SUL DA DALMÁCIA – (Dalmatia Slit): A área inclui as ilhas de Lastovo, Mljet, Korcula, Lopud, Sipan e a península de Peljesac. A presença das oliveiras nessa região é datada em milhares de anos a.C.. Com aproximadamente um milhão de árvores, a mais povoada por oliveiras é a ilha de Korcula com meio milhão de árvores. As variedades mais presentes na região são a lastovka e a drobnica.

CULTIVARES LOCAIS

São registrados 31 cultivares como nativos:

CULTIVAR IMPORTÂNCIA SINÔNIMOS e NOMES ATRIBUIDOS ERRONEAMENTE(NAE) PRINCIPAL USO
Lastovka  1   Azeite
Levantinka  1   Azeite
Oblica 1 Bracka, Debela, Grossa di Veglia, Krupna S Krka, Krupnica, Losinjka S Krka, Lussignana di Veglia, Mekura, Nasa Domaca, Oblica Losinjska, Oblica Voloscanska, Oblitza, Orbula, Orcolana, Orkis, Orcola, Orkola di Lusino, Orkola Losinjska, Orkula, Pitoma, Rossa Carnosa, Rotonda di Veglia, Tonda, Tonda di Voloska, Velika. Mesa/Azeite
Buga 2 Boga, Bogi, Buga d’Istria, Bulga, Burla, Busa, Buso, Buza, Buza Istarska, Bügla, Tonda di Villa, Fiaschetti, Sbusa, Feminskula, Busiaro, Buso Piranska, Buza Labinska. Mesa/Azeite
Buza minuda 2   Azeite
Carbona 2 Carbono, Carbonella, Crna Kascerganska, Crnica, Karbonaco, Nera, Negrara. Azeite
Drobnica 2 Drobna, Drobnica Comune, Drobniza, Grozdasta, Grozdasta Toskanska, Jabucica, Jabucica Krcka, Karbonaca, Minuta di Veglia, Naska, Nabadna Belica, Melaiolo a Grappoli di Toscana, Nostrana di Veglia, Olivo a Grappoli Fiorentino, Olivo Pometti di Veglia.
NAE: Stnica
Azeite
Istarka Bjelicao 2 Ístria Bjelica Azeite
Karbonera 2 Carbonara, Carbonera, Carbonera d’Istria, Carbonera di Albona, Carbonera di Diganano, Carbonera di Montona, Carbonera di Portole, Carbonera di Rovigno, Carbonera Femmina di Dignano, Carbonera Maschio di Dignano. Azeite
Plominka 2 Sinonimias: Casalina di Veglia, Casalina Dolce di Veglia, Domaca S Krka, Olive Vegliesane, Olivo Fianese di Cherso, Slatka, Trillo Toskanski. Mesa/Azeite
Puljka 2 Puljak Azeite
Rosulja 2 Chersina di Dobasnizza, Creska Dubasnice, Lovranka S Krka, Obicna Piranska, Olivo Comune di Pirano, Olivo Lovranesi di Veglia, Resulja, Rosciola di Parenzo, Rosinjola, Rossignolo, Rossignolo di Cherso, Rossignolo di Parenzo, Rossuglia di Dobasnizza, Rossuia, Rossuia di Cherso, Rosulja Creska, Rosulja Dubrasnice, Rosulja Piranska, Rosulja Porecka, Rosulja Rovinjska. Azeite
Slivnjaca 2 Slivja, Slivnjaca Creska, Slivnjaca Istarska, Sljivaca, Susina d’Istria, Susina di Cherso Mesa/Azeite
Grozdaca 3 Grodaca, Grozdenjaca, Grozdulja. Azeite
Jeruzalemka 3   Azeite
Karbuncela 3 Granbucela. Azeite
Mezanica 3 Meznaica, Sipan Mezanica. Azeite
Murgulja 3   Mesa
Ostrica 3    
Perisiceva Mastrinka 3 Sinonimias: Divlja Maslina, Divljka, Divljakinja, Mastrinka, Mastrinka Puljizika. Azeite
Piculja 3 Piccoletta di Dalmazia. Azeite
Politusa 3 Litusa. Azeite
Torkoljanka Voloscanska 3 Slibguasi, Torcoliana, Torcolo. Mesa/Azeite
Uljarica 3   Azeite
Zeludarica 3   Mesa/Azeite
Brindicanka 4   Azeite
Buharica 4 Buhavica, Buvarica, Vhrbracka. Azeite
Buza puntoza 4 Buza Puntuza, Duga Azeite
Dubravka 4   Azeite
Starovjerska 4 Oliva Greca di Lussino, Starovjerka S Losinja. Azeite
Zizolera** 4   Azeite

* Importância:

  1. Principais
  2. Secundárias, pouco cultivadas
  3. Minoritárias. Cultivadas em pequenas zonas de forma dispersa e não contínua.
  4. Especiais. Oliveiras únicas, ou poucos indivíduos, cujo objetivo pode estar ligado a Estudos, em fase de classificação. Oliveiras muito pouco conhecidas.

** O cultivar Zizolera corre o risco de extinção, pois são encontradas apenas algumas árvores muito antigas espelhadas pela Croácia.

As mais representativas são:

OBLICA

Imagem: www.istria-gourmet.com
Imagem: www.istria-gourmet.com

Variedade facilmente encontrada. Representa 60% de todas as oliveiras na Croácia. É moderadamente vigorosa, folhagem arredondada, ramos crescem sob o ângulo oblíquo, o que resulta em uma copa aberta e densidade baixa. Suas azeitonas são utilizadas tanto para conserva como para produção de azeite. Ótimo para conserva e azeite suave e macio, doce, perfeito para pratos de frutos do mar.

LASTOVKA

Muito encontrada na ilha de Korcula, sua origem. A árvore é mais vigorosa que a Oblica, tende a crescer verticalmente com ápice em forma de pirâmide. Dá frutos médio, elíptico alongado e grandes. São utilizados principalmente na extração de azeite, este é um pouco amargo, esperado nos azeites extra virgens, e de alta qualidade.

DROBNICA ou KARBONACA

Imagem: www.istria-gourmet.com

 É um dos cultivares mais antigos. Com vigor médio e crescimento verticalizado. Apresenta média a baixa produtividade e baixa regularidade. As azeitonas são pequenas e um oval arredondado. Com o amadurecimento a cor verde se torna um vinho vermelho e roxo. Seu azeite é picante, com um leve amargor e leve doçura.

LEVANTINKA

Levantinka centenária

Variedade predominante na ilha de Solta, e cultivada lá desde o século XIX. Alto vigor, cresce de forma aberta e copa densa. Ao contrário de Oblica e Lastova, a Levantinka prefere melhor solo com maior umidade, contudo é resistente à seca, mas pouco resistente ao frio.

A azeitona da Levantinka cresce em uma forma oval alongada em aglomerados de 3 a 5 frutos. Enquanto se amadurece, o fruto evolui de verde para um vermelho-roxo, até torna-se preto. O principal uso da Levantinka é na produção de azeite que é doce.

Devido ao seu belo tronco é chamada de “beleza” dos olivais. Seu fruto é de tamanho médio a grande e elíptico alongado. Possui alta produtividade e boa regularidade. Pouco resistente ao frio.

PLOMINKA

A variedade mais encontrada nos campos das ilhas de Cres, Krk e Península de Istria. A árvore possui baixo vigor e cresce de forma verticalizada. A azeitona é grande e elíptica. O desprendimento e tão fácil que costuma cair com ventos mais fortes.

BUŽAA MINUDA

Imagem: www.istria-gourmet.com

É a variedade mais difundida em Istria. Existe outra Buzaa, a Puntoza que é escassa em todo território Croata. A árvore é grande, copa densa e crescimento vertical. O fruto é médio grande e oval é utilizado principalmente na produção de azeite que é bem doce.

ISTARSKA BJELICAO ou ÍSTRIA BJELICA

Imagem: www.istria-gourmet.com

Cultivar mais difundido em Istria e Kvarner. A árvore medianamente vigorosa com copa densa e ramos eretos, longos e duros. É capaz de gerar alta produtividade com regularidade. Os frutos são ovais, tamanho médio, utilizados principalmente para a produção de azeite que possui amargor e pungência moderada.

DUŽICA

É a variedade registrada em Montenegro, mas algumas fontes informam que ela foi originada na Croácia. É a mais famosa azeitona de conserva local. Sua árvore é meio vigorosa e a copa formada em forma de Chorão. Seu fruo é muito grande e alongado.

Além dos cultivares acima, encontramos na Croácia mais 44 cultivares originários de outros países, principalmente italianos.

PRODUÇÃO E CONSUMO DE AZEITE E AZEITONAS DA CROÁCIA

PRÊMIO DOS AZEITES CROATAS – NYOOC

Apenas recentemente os azeites Croatas vem recebendo destaque no exterior, fruto ainda, talvez, da conturbação política que a região onde o país está inserido sofreu até o final da década de 1990.

Mas aos poucos seus azeites começam a ser conhecidos, assim como suas paisagens deslumbrantes.

Com umas das taxas de sucesso mais altas do NYOCC a Croácia consolida sua posição de grande produtor de azeites. Parte desse sucesso vem da colheita manual e o controle dos demais pontos do processo. É claro que a qualidade da matéria prima, as azeitonas não pode ser ignorada.

PRODUÇÃO SUPERINTENSIVA NA CROÁCIA

Em 2011 iniciou um estudo para intensificação do uso do solo em plantações de azeitonas na Croácia. Os resultados foram publicados em 2018. A conclusão dos estudos foi favorável a aplicação da técnica onde, neste caso, os compassos utilizados foram de 3,0M X 1,75M / 3,0M X 1,55M / 3,0M X 1,35M. Foram de 1.544 a 2.090 árvores por hectare (há).

Os cultivares utilizados forma a Arbequina, Arbosana, Koroneiki, Sikitita e Tosca. A média de colheita a partir do terceiro ano (muito precoce) foi de 500 g de azeitonas por árvore, contudo em alguns casos chegou-se a colher 10,47 toneladas de azeitonas por hectare (Sikitita com compasso de 3 x 1,35).

Observação: O azeite obtido foi sempre o extra-virgem.

Uma publicação sobre a plantação em SEBE, ou “Superintensiva” está sendo preparada, para explicar um pouco mais sobre essa técnica e seus resultados.

A produção superintensiva é uma realidade e necessidade pelo consumo do azeite pelo mundo, contudo os melhores azeites continuaram a ser fabricados com azeitonas colhidas a mão, ou por métodos mecânicos de baixo impacto, como as derriçadeiras. Vários são os fatores que inviabilizam um azeite de alta gama ser produzido desta forma. Veja nossas publicações sobre azeites.

Torcemos para que a Croácia mantenha suas fazendas de azeite de alta qualidade mesmo aderindo ao cultivo intensivo e superintensivo.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!