Sítio situado a 1.500 metros de altitude no Sul de Minas na Serra da Mantiqueira. Lá encontramos condições adequadas para o plantio de nossas oliveiras. Por exemplo: Inclinação média do terreno entre 10° e 20° voltada para o norte, o que no hemisfério sul significa mais luz do sol. Terra sem excesso de material orgânico e com boa drenagem, frio necessário… Ou seja: característica edafoclimática perfeita.

VILA OLIVA

A Vila Oliva é o nosso laboratório, onde faremos as experiências e testes, levando em consideração tudo o que temos aprendido sobre o cultivo das oliveiras. Acrescentamos aquilo que julgamos ser correto dos “novos” e antigos pensamentos, bem como trouxemos para nosso sítio práticas agro florestais. Ao longo do tempo, compartilharemos no blog as novidades e descobertas que formos fazendo.

Estamos tratando nossas oliveiras da maneira mais natural possível. Até a aplicação de veneno para formigas cortadeiras é restrita a fora da área do plantio – onde utilizamos apenas métodos mecânicos de combate. Já chegamos a experimentar chumaços de algodão na base das mudas, para impedir que as formigas consigam acessar. Funciona bem, mas acaba se tornando inviável, pois deve ser trocado a cada chuva. A água compacta o algodão e este deixa de ser uma barreira natural para as formigas.

Um método conhecido há muito tempo por quem trabalha na roça, que é utilizar o próprio capim cortado como barreira para as formigas, acabou sendo mais eficaz, mesmo tendo que renovar a “barreira” de tempos em tempos.

Um dos nossos objetivos é a produção orgânica, respeitando a fauna e flora locais.

DESTAQUES

– Todos os pés são irrigados e fazemos controle de umidade resultante dessa irrigação. Veja nosso estudo sobre irrigação na Serra da Mantiqueira. O próximo lote de mudas não terá irrigação, acompanhando o que tem se praticado na serra da Mantiqueira, para podermos comparar a evolução no mesmo local e com tratamento análogo.

Exemplo muda com gotejador

Gotejador e algodão

– Em várias árvores estamos cultivando leguminosas junto as oliveiras. Até agora, as que apresentaram melhor resultado foram o feijão guandu, verde e branco. O responsável por cuidar das árvores já colheu e cozinhou, mas sobrou o suficiente para o replantio após o inverno.

– A aplicação de calcário dolomítico nas três semanas que antecederam a plantação das mudas apresentou um resultado muito bom, pois o PH médio está em 7,2. Já iniciamos também a aplicação de esterco de bovino curtido e, até o final do ano, esperamos equilibrar o PH em 6,5.

Tratamento de muda

Nosso “pediatra olivistico” – OSVALDO

AS PRIMEIRAS ÁRVORES DA VILA OLIVIA (2017)

Além dessas mudas, temos duas árvores que adotamos em 2015, Olívia (Koroneiki) e Olívio (Arbequina). Até o início de 2017, elas ficavam em vasos, em nosso jardim. Depois de transpladas para solo, na Mantiqueira, já dobraram de tamanho.

As mudas plantadas em dezembro de 2017, dependendo do cultivar, já chegaram a triplicar de tamanho (em maio de 2018). Entretanto, as plantadas em março de 2018 cresceram pouco, em função do plantio fora de época.

Agora é esperar a chegada da primavera.

Liked it? Take a second to support Olivapedia on Patreon!