Na publicação OCUPAÇÃO DA OLIVICULTURA PELO MUNDO apresentamos quase todos países que produzem azeitonas, e uma visão de evolução entre os anos 2015 e 2017 – Base de dados da FAOSTAT.

Nessa edição ampliamos o período de tempo de 2013 a 2017, e damos mais informações, como por exemplo: O que significa os índices de crescimento dos países que mais cresceram com relação ao território de cada um. Mantemos como base de dados o órgão da ONU para Alimentação e Agricultura das Nações Unidas.

ATENÇÃO: Não devemos considerar de forma direta o aumento ou redução da área plantada com a produção de azeitonas, pois além do tempo que as oliveiras demoram a produzir, há outros fatores como tipo de plantação (tradicional a super intensiva). Ainda: Mesmo tentando cruzar as informações entre diversas fontes a fim de aumentar a confiabilidade da informação passada no blog, infelizmente algumas vezes isso não é possível, e as vezes a própria FAO informa que os dados baseiam-se em informações dos governos locais, como por exemplo o caso da China. Outro ponto de atenção são os dados divergentes entre obtidos entre cultivadores locais e a FAOSTAT. Exemplo: Segundo algumas entidades do Rio Grande do Sul, somente na região seriam 6.500 hectares plantados com oliveiras… Caso isso fosse correto, teríamos um produção por hectare extremamente baixa! Vamos nos deter as informações oficiais do FAOSTAT.

Compração entre uma plantação "Trdicional" e uma "Super Intensiva"
Plantação Tradicional X Super Intensiva

Quais países mais cresceram em área (ha) plantada entre 2013 e 2017?

Uma comparação entre os países que mais cresceram em percentual X crescimento em hectares

Fica claro que a despeito do esforço de alguns países, como Brasil, Bósnia, Montenegro… que a área total acrescida de olivais é muito pequena. Por outro lado, países com maior tradição, Itália, Marrocos e por aí vai, com menores percentuais de aumento, adquirem para os olivais uma área significativa.

Talvez os números fiquem mais claros em formato de tabela, ainda considerando o período entre 2013 e 2015:

Relação de maiores crescimentos em percentual entre 2013 e 2017.

PAÍSCRESCIMENTO
EM HECTARE
CRESCIMENTO
PERCENTUAL
Brasil800547,95%
Bósnia8980,91%
Montenegro5564,71%
Azerbaijão1.08564,13%
Irã20.02439,07%
Palestina17.24837,27%
Eslovênia31834,38%
Egíto19.32831,32%
Peru4.74128,83%
Austrália10.25524,45%
Argélia84.76524,34%
Líbia51.40720,44%
Albânia7.48519,73%
Chile3.59719,65%
Líbano8.66316,16%

Relação de maiores crescimentos em área entre 2013 e 2017.

PAÍSCRESCIMENTO
EM HECTARE
CRESCIMENTO
PERCENTUAL
Itália178.58815,57%
Marrocos98.33410,66%
Argélia84.76524,34%
Grécia75.2189,44%
Líbia51.40720,44%
Síria47.8366,86%
Espanha47.8291,91%
Turquia20.2362,45%
Irã20.02439,07%
Egíto19.32831,32%
Palestina17.24837,27%
Austrália10.25524,45%
Líbano8.66316,16%
Albânia7.48519,73%
Portugal6.5061,85%

O crescimento em percentual e área, relativo ao tamanho total do país

Essa é mais uma informação que precisa ser olhada com cuidado. O objetivo principal é demonstrar a relevância do esforço no crescimento da olivicultura diante do tamanho do país.

O melhor seria observar o crescimento sobre áreas agriculturáveis, ou ainda onde as oliveiras poderiam ser cultivadas. Isso ocorrerá em um estudo posterior, ou em um e-book da Olivapedia.

Os fatores para os quais devemos nos atentar são:

1- Territórios: São considerados todos indicados pela ONU, reconhecidos e em disputa. Ou seja:

Vida no deserto

2 – Terras aráveis (qualquer cultura): Grandes territórios não são próprios a agricultura. Mesmo com a aplicação da tecnologia atual e desenvolvimento de novas, entendemos que os biomas devem ser preservados, como: Florestas, Cerrado, Pântanos, Desertos (sim, desertos possuem biomas, até esquilos…), e outros.

3 – Apenas para reforçar: Essa informação não tem ligação direta com o aumento da produção e produtividade, conforme frisado anteriormente.

Quais países que mais encolheram seus olivais?

Como explicamos no início da publicação, a redução de área também não está associada diretamente a redução de produção. Um exemplo são os EUA que saiu de uma produção de 150.593 toneladas de azeitona em 2013 para 174.450 toneladas em 2017. Ou seja: Um aumento de quase 16% de produção mesmo com uma redução de área plantada de 10%.

Apesar de não estar associado diretamente a produção, a involução das áreas pode iniciar uma pesquisa sobre o momento da olivicultura em cada país.
Países que reduziram suas áreas plantadas

A EVOLUÇÃO OLIVIAS NO MUNDO 2013 – 2017

A evolução ainda não reflete em produção de azeitonas e azeite devido ao tempo para início de frutificação da oliveiras. Mas associada ao aumento de área temos adoção em maior escala das plantações intensivas e super intensivas. Anos de alta produção virão pela frente.

Evolução área plantada com olivais no mundo
Fonte FAOSTAT

Observação: Cada quilometro quadrado (Km²) representa 100 hectares, ou cada hectare representa 0,01 Km².

Em breve faremos um estudo detalhado sobre produção e produtividade. Os países que mais cresceram e diminuiram em ambos critérios em todo o Mundo, bem como a evolução da olivicultura em relação a outros grãos destinados a produção de óleo.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!