Esse cultivar recebeu seu nome da sua região de origem. Alcaudete é um município da Espanha na província de Jaén, comunidade autónoma da Andaluzia. Como já comentamos Jaén é a maior região produtora de azeitonas da Espanha que é o país com maior produção do mundo. Com tanta disputa, sua posição secundária prova seu valor na olivicultura, em especial na produção de azeite.

Castle in Alcaudete with olive grove
Castelo em Alcaudete com olival

O nome Carrasqueño de Alcaudete

O nome “Carrasqueño” refere-se a maior robustez de suas folhas, pois sua resistência parece com a da azinheira e do carvalho. Denominação foi inicialmente utilizada em (Priego, 1935). O nome Alcaudete explicamos acima.

Origem do cultivar

Sua origem é na Espanha em um dos municípios da maior região produtora de azeitonas e azeite do mundo: Jaén.

Referências:

Barranco D., Rallo L.. Las variedades de olivo coltivadas en Andalucia. 1984, Pages: 387 – Ministerio de Agricoltura y Junta de Andalucia. Madrid, Spain
Rallo L., Barranco D., Caballero J.M., Del Rio C., Martin A., Tous J., Trujillo I..Variedades de Olivo en Espana. 2005, Pages: 478 – Mundi-Prensa. Madrid, Barcelona, México

Área de cultivo

Na província de Jaén ocupa cerca de 4.000 hectares (região de Martos em Jaén e Sierra Sur).

Regiões principais de cultivo da Carrasqueño de Alcaudete

Provável ascendência genética do cultivar Carrasqueño de Alcaudete

Relações de parentesco de cultivares com base na abordagem de verossimilhança. As relações de parentesco são ilustradas com linha cheia (nenhuma incompatibilidade de alelos -alelo) ou linha tracejada (uma incompatibilidade de alelos -alelo- em um locus).

Sinônimos

Não há sinônimos observados, contudo existe uma atribuição errônea como Carraqueño / Carrasquenho. Inclusive já publicamos sobre esse cultivar: Oliveiras no mundo – Carrasquenha – OLIVAPEDIA

Principal utilização

Existe apenas referência para utilização em lagares para produção de azeite.

Referências:

Barranco D., Rallo L.. Las variedades de olivo coltivadas en Andalucia. 1984, Pages: 387 – Ministerio de Agricoltura y Junta de Andalucia. Madrid, Spain.

Rallo L., Barranco D., Caballero J.M., Del Rio C., Martin A., Tous J., Trujillo I..Variedades de Olivo en Espana. 2005, Pages: 478 – Mundi-Prensa. Madrid, Barcelona, México.

Carrasqueño de Alcaudete

Interpretação dos dados para medidas das características das oliveiras

Como as pesquisas são realizadas em diversas bases, muitas vezes os dados são conflitantes, ou complementares. Não consideramos fontes duvidosas e excluímos uma informação muito diferente da média (um ponto fora da curva).

No caso de um parâmetro poder apresentar mais de um resultado, adotamos a seguinte estratégia, por exemplo:

1) “Tamanho do Fruto: Grande em 50% das fontes e Médio em 50% das fontes”, consideramos:

Médio-Alto (ambos adjetivos iniciando com letra maiúscula).

2) “Teor de azeite: Baixo 66% das fontes e Médio em 33% das fontes”, consideramos:

Baixo-médio (primeiro a avaliação mais considerada, depois a segunda iniciando em letra minúscula).

Também podemos passar o percentual de cada avaliação de um determinado parâmetro, quando julgamos útil.

Observação: Essa forma de interpretar já é adotada pela Olivapedia nas últimas publicações, e não havendo informação em contrário, será mantida para as do futuro.

Morfologia

Imagem: Ministério da Agricultura, pesca e ALimentação da Espanha

Características e Resistências Bióticas e Abióticas

Referência Morfologia, Características e Resistências:

RALLO, L., BARRANCO, D., CABALLERO, J. M. ET AL (2005). Variedades de olivo en España. Ministerio de Agricultura, Pesca y Alimentación. Junta de Andalucía. Madrid. Grupo Mundi-Prensa.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!