A Carrasquenha é um cultivar de importância secundária, pois é cultivada comercialmente apenas em duas províncias de Portugal, país de sua origem, e a nordeste da Espanha. Mesmo assim possui características interessantes, como alta produtividade e boa resistência a alguns fatores bióticos a abióticos, além da flexibilidade na utilização.

Carrasquenha tree
Árvore da Carrasquenha – Foto: Viveros Sophie

Origem do cultivar

A origem da Carrasquenha é em Portugal, e em provavelmente nas mesmas regiões do cultivo atual em Portugal: Alentejo e Região do Centro, mais especificamente na Beira Interior – Província da Região do Centro.

Fontes:

Leitão F., Potes M.F., Calado M.L., De Almeida F.J.. Descrição de 22 variedades de oliveira cultivadas em Portugal, 1986 – Pages: 111. Ministerio da Agricultura, Pescas e Alimentação Lisboa, Portugal.

Barranco Navero D., Cimato A., Fiorino P., Rallo Romero L., Touzani A., Castañeda C., Serafini E., Trujillo Navas I.. World catalogue of olive varieties, 2000 – Pages: 360. COI, Mundi-Prensa Madrid, Espanha.

Sinônimos

É um cultivar com pouca variedade de nomes, e encontrada apenas em Portugal.

Sinônimos do cultivar Carrasquenha

Observação: Elvas é uma cidade fronteiriça com a Espanha, no distrito de Portalegre, a Leste na região do Alentejo.

Além do cultivo e coleções na Espanha e Portugal, também são reportadas coleções na China e Marrocos.

Cultivar na Espanha

Na Espanha o cultivo encontra-se no Vale do Rio Ebro, indo até a região da Rioja (La Rioja).

Vale do Ebro e La Rioja

Principal uso da Carrasquenha

De maneira geral o cultivar é indicado como para duplo propósito, ou seja: produção de azeite e de azeitona de mesa.

Existe uma tendência moderada para uma maior utilização na produção de azeite.

Fontes:

  • Loussert R. and Brousse G., L’olivier – 1978, Página 465. Maisonneuve e Larose – Paris
  • Morettini A. Olivicoltura – 1972, Página 522. REDA – Roma, Italia
  • Patac De Las Traviesas L., Cadahia Cicuendez P., Del Campo Sanchez E., Tratado de Olivicoltura – 1954, Página 646. Sindacato Nacional del Olivo – Madri.
  • Several Authors, L’olivier dans le monde – 1939, Página 247. Institut International d’Agriculture – Roma, Italia.

Observação: Quando utilizada para produção de azeitona de mesa, a mesma ainda se encontra em Veraison de 1 a 3, ou seja: Verde.

Morfologia

Interpretação dos dados

Como as pesquisas são realizadas em diversas bases, muitas vezes os dados são conflitantes, ou complementares. Não consideramos fontes duvidosas e excluímos uma informação muito diferente da média (um ponto fora da curva).

No caso de um parâmetro poder apresentar mais de um resultado, adotamos a seguinte estratégia, por exemplo:

  1. “Tamanho do Fruto: Grande em 50% das fontes e Médio em 50% das fontes”, consideramos: Médio-Alto (ambos adjetivos iniciando com letra maiúscula).
  2. “Teor de azeite: Baixo 66% das fontes e Médio em 33% das fontes”, consideramos: Baixo-médio (primeiro a avaliação mais considerada, depois a segunda iniciando em letra minúscula).

Também podemos passar o percentual de cada avaliação de um determinado parâmetro, quando julgamos útil.

Observação: Essa forma de interpretar já é adotada pela Olivapedia nas últimas publicações, e não havendo informação em contrário, será mantida para as do futuro.

Morfologia do cultivar Carrasquenha

Características e Resistências Bióticas e Abióticas

Características e resistências bióticas e abióticas do cultivar Carrasquenha

Azeite da Oliveira Carrasquenha

Azeite com características peculiares e considerado de boa qualidade. Possui teor de ácido linoleico médio.

Resumo

Variedade que se adapta a diferentes tipos de solos e seca, embora seja sensível ao excesso de umidade.

Dada a sua baixa capacidade rizogênica, a enxertia é utilizada para propagação. A entrada em produção é média. Seu tempo de floração é médio e é considerado parcialmente autocompatível.

Principais pontos:

  • Baixa capacidade de propagação por estaca semi‑lenhosa.
  • Início plena floração (na região de Elvas – Portugal em ano médio): 4 de Maio.
  • Duração média da floração: 19 dias.
  • Cultivar adaptada à colheita mecânica.
  • Maturação média-tardia (2ª quinzena de Dezembro).
  • Ela é considerada sensível à tuberculose.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!