A origem desta variedade está localizada na região de Hérault na França. Sua cultura se espalhou para os Gard e os Pirineus Orientais.

A forma “esburacada” ( lenticelas ) de seus frutos lembra a de uma amêndoa, daí seu nome derivado da langue d’oc.*

* A “langue d’oc” ou língua occitana, ou ainda occitânica é uma língua “romântica” falada no sul da França, abaixo do rio Loire, Vales Accitanos, Mônaco e Vale de Arão. Essas regiões são conhecidas como Occitânia ou “País d’Oc”. Estima-se que seja a “língua regional” mais falada na França.

Origem e tamanho da Cultura

A Amellau é um dos 8 cultivares que tiveram origem na França.

Está concentrada em L’Herault, L’Aude e Le Gard.

Sinônimos

São muitos os nomes pela qual também é conhecida, a saber: Amandier, Amellenque, Amande, Amellat, Amellaude, Amellinco, Amellingue, Amellou, Amelon, Amenlaou, Amenlau, Amygdaline, Grosse Noire, Olivier Franc, Olivier Blanc, Olivo Amellingo, Olivo Mandorlino, Raymet.

Características da Amellau

Árvore

De porte e vigor médio com tendência a verticalização da copa. Resiste bem ao frio/geada, mas susceptível à doença conhecida como “olho do pavão”(cycloconium oleaginum).

Novas árvores (mudas) são melhor obtidas pela técnica da estaquia. As mudas obtidas têm um crescimento médio.

Sua floração ocorre cedo dentro do período. Produtividade e regularidade baixas.

Possui bom enraizamento e inicia a produção de forma tardia, em torno do 5º ano. Sujeita a alternância média.

Folhas

Possuem um comprimento e largura médios, eles são elípticos lanceolados, ligeiramente epinástica, a face superior é verde escuro (fosco).

Floração e polinização

A Amellau é auto-incompatível, ou seja: para que as flores tornem-se azeitonas, é necessária a polinização cruzada com outro cultivar. O mais indicado é o Verdale de l”Hérault, que é geneticamente compatível e florece na mesma época – cedo.

A Amellau serve como polinizadora também, mas nesse caso para a variedade Lucca

Frutos

Seus frutos, azeitonas, possuem uma forma ovóide, ligeiramente assimétrica, sua base é truncada e sua parte superior arredondada.

Possuem lenticelas grandes, mas pouco numerosas. Os frutos são isolados, contudo, às vezes agrupados em até três azeitonas.

Caroço

É elíptico e ligeiramente assimétrico, com uma base arredondada e uma pequena ponta (mucron). Há poucos sulcos fibrovasculares.

Principal vocação

O fruto é grande e possui pouco óleo para produção de azeite ( 10,3% e 11,9% – algumas literaturas atribuem até 13,6%), logo prioritariamente tem sido utilizada para azeitona de mesa. No hemisfério Norte a colheita ocorre em Outubro para produção de azeitona de mesa. Contudo para produção de azeite, no mesmo hemisfério, a colheita ocorre entre novembro e dezembro.

Também é utilizada para auxiliar na polinização de Lucques.

Características da azeitona e azeite

A azeitona tem um sabor típico de rosa ou violeta.

O azeite é produzido com o fruto já maduro – preto. Possui notas de “Lichia”, aromas frescos e herbáceos. Ao palato parece cremoso, mas suave. Possui alguma “doçura”. O amargor e picância são baixas. Boa harmonia, sendo um azeite agradável.

Grau de importância do cultivar

Em uma escala de 1 a 4, o grau de importância da Amellau é “2”. Ou seja: Comercialmente explorada, mas apenas localmente.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!