Foto de capa: Site tourhq.com

A Blanquette de Guelma é um dos 55 cultivares autóctones registrados da Argélia, e surgido no distrito que dá o nome ao cultivar: Guelma.

Guelma é um distrito a nordeste do território da Argélia e fica a aproximadamente 50 Km do litoral do mediterrâneo. Assim como o restante do norte da África, foi ocupado pelo império romano. Do império ficaram vários monumentos, sítios arqueológicos e a fixação da olivicultura.

Mas a fundação da cidade conhecida hoje como Guelma foi realizada pelos Fenícios, que levaram as primeiras olivieras para a região. A cidade no início era chamada de Malaka. Posteriormente, após a tomada pelos romanos foi chamada de Calama.

A origem desse cultivar, bem como outros diversos argelinos deu-se em uma faixa mais fértil, o que propicia o enraizamento. Essa característica é importante até hoje para a BLaquetee de Guelma devido a possibilidade de tombamento quando submetida ventos mais fortes.

Faixa verde no norte da África, local de surgimento e cultivo da Blanquette de Guelma

Área de cultivo atual

  • Argélia: Constantine, Guelma e Skida.
  • Tunísia: Esporádicamente em regiões próximas da fronteira com a Argélia.

Extensão da área de cultivo atual

Não existe uma informação confiável quanto ao tamanho dos olivais da Blanquette de Guelma, contudo, pela FAO a área em 2018 de olivais total em 2018 na Argélia era de 431.009 hectares.

Ainda… Dos 55 cultivares registrados na Argélia, apenas nove possuem relevância comercial (categoria “1” e “2”). No caso da Blanquette de Guelma sua importância é “1”. Desses nove cultivares, quatro são cultivares secundários (“2”), pouco cultivados. Então, sem muita margem para erro, podemos estimar a área plantada de Blanquette de Guelma de 72.000 a 107.750 hectares.

A Oliviera

  • Vigor: Médio
  • Copa: Verticalizada
  • Densidade da copa: Média
  • Polinização: Auto compatível, mas melhora com a presença do cultivar “Bouchouk de Soummam”
  • Produtividade: Média
  • Regularidade: Baixa

Considerada um cultivar rústico, com resistência ao frio média-alta e a seca média.

A folha

  • Com formato elíptico, é considerada curta (46,83mm +/- 0,23), mas larga (14,23mm +/-1,2).
  • Sua curvatura longitudinal existe, mas é despresível.
  • A cor das folhas é Verde (em cima) – Verde amarelado (em abaixo).

Floração

A floração é precoce, e o aborto do ovário é geralmente de médio. Também é usado como polinizador da cultivar “Chemlal de Kabylie”.

Produtividade

A produtividade é média e alternada. O amadurecimento da fruta é precoce. Mesmo que o teor de óleo seja médio-baixo, ele é usado principalmente para extração (60-70% da população); o produto de boa qualidade. Contudo em alguns anos os frutos são destinados à produção de azeitonas de mesa.

Algumas informações adicionais de fontes da Argélia

Todos os valores referem-se a média de várias amostras e com processo de extração adequado, e comprovam a excelência do azeite da Blanquette de Guelma.

Jornal Argelino de Agricultura (Biannual journal, edited by Ferhat ABBAS University, Sétif1)

Acidez:

Índice de peróxido:

Extinção da ultra violeta:

Abaixo informações retiradas da tese de doutorado de Benrachou Nora na Faculdade de Ciências da Argélia – Departamento de Bioquímica.

Para saber mais sobre os indicadores acima, acesse:

Você ainda pode baixar a ficha individual desse e outros cultivares, bem como diversas outros arquivos. Para isso assine o Patreon com “Frantoio”.

POPUP entrada
Patreon – Become a member
Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!