Essa publicação fica classificada como curiosidade pois não tem o objetivo de detalhar cada método, nem sob aspecto de eficiência ou qualidade. Apenas uma passada pela história da olivicultura ilustrando algumas das formas de como o ser humano colhe ou colhia as azeitonas. Provavelmente não listamos todas, logo se souber de alguma outra e quiser contar, gostaríamos muito de saber.

Ah sim! Já falamos de uma forma diferente sobre métodos de colheita de azeitonas na publicação MOMENTO DA COLHEITA.

1 – Com a mão, uma a uma, ou o cacho.

Ainda dá para correr a mão em um ramo para retirar mais azeitonas. É simples e provavelmente o método mais antigo. Talvez superado em antiguidade pela cata no chão.

Essa modalidade ainda permite que os frutos colhidos sejam depositados em pequenos recipientes carregados juntos com o colhedor, o que aumenta o trabalho, mas preserva mais a azeitona, pois além dela não cair ao solo, diminui a possibilidade de contaminação com o solo, mesmo que o mesmo esteja coberto.

2- Colhendo os frutos caídos

Longe de visar a melhor qualidade dos frutos colhidos, é uma forma em regiões com escassez de recursos.

Os frutos recolhidos são os que após passarem por todo processo de amadurecimento, ou após alguma ventania, tenha caido naturalmente no solo.

Catação manual
Cata no afeganistão. As vezes é a única forma de fazer.

Além da provavel contaminação com o contato com o solo, idade da azeitona colhida sem controle

3 – Batendo com varas! Maldade!!!

Talvez quase tão antigo como colher com as mãos, bater com varas nas oliveiras aumenta a velocidade da colheita, contudo causam danos as olivas e as oliveiras.

4 – Com ferramentas manuais

Ferramentas que parecem com ancinhos de polimero, madeira, metal e até ossos e chifres que passam pelos ramos da oliveira fazendo as azeitonas cairem.

Uma variação dessas ferramentas é a utilização do chifre de cabras na colheita. Essa técnica é aplicada apenas em regiões mais remotas da europa mediterrânica.

5 – Derriçadeiras ou Varejador

As derriçadeiras são ferramentas que parecem com as mãos com muitos dedos longos”. São ousadas em outras culturas como a do café com hastes mais curtas. No caso da olivicultura os dedos são bem mais longos, parecendo mais como hastes de arame.

A força motriz pode ser um motor a combustão ou elétrico. O primeiro mais potente, mas mais pesado. O elétrico pode ser usado, alguns modelos, por muitas horas ou ainda ser conectado a uma fonte, contudo é mais fraco.

Em termos de qualidade de preservação do fruto, não substitui a colheita manual, principalmente quando o catador deposita os frutos colhidos diretamente em um pequeno recipiente, mas ainda é melhor que a colheita mecanizada.

Ainda existem derriçadeiras que podem ser acopladas a tratores e outros mecanismos a fim de aumentar a velocidade. Poderíamos até considerar que esse método é mecanizado, pois existem modelos com bandeja acopladas para coletar azeitonas arrancadas.

Derriçador para café que pode ser adaptado para azeitona

6 – Mecanizada

É sem dúvida um mal necessário…

Vamos fazer uma conta. O mundo consome aproximadamente 2,8 milhões de toneladas de azeite por ano. Podemos considerar uma boa média 60 quilos de azeitonas colhidas por dia por uma pessoa. Vamos considerar que 1 quilo de azeite consuma 8 quilos de azeitonas. Ou seja: Seriam necessários 373.333.333 homens x dia dedicados a atividade. Se distribuirmos a colheita em 120 dias ininterruptos, seriam necessários 3.111.111 pessoas dedicadas apenas na colheita pelo mundo. Metade só na Espanha, mas são apenas elucubrações matemáticas.

É claro que através de derriçadeiras esse número poderia baixar um pouco, mas ainda teríamos de colher as azeitonas para conserva. Seriam mais de 600 mil toneladas a serem colhidas.

O custo seria proibitivo, e a colheita mecanizada pode resultar em um azeite “bem bonzinho!!!”

Foto “1” e “2” cedidas por elolivarsuperintensivo.com e agromillora.com

A colheita mecanizada exige o controle de poda sobre as árvores, bem como utilização de variedades que se adequem a colheita, inclusive com pequeno porte e despreendimento “fácil” da azeitona.

E agora? Tem azeitona no chão!

Normalmente os métodos de colheita manual, com ferramentas manuais e derriçadeiras consideram que o as azeitonas serão depositadas no chão antes de serem reunidas.

Normalmente utilizam-se redes semelhantes às utilizadas na colheita do café (Brasil).

Cobre-se o chão em torno da(s) oliveira(s) e ao terminar a colheita vai se recolhendo o tecido e afunilando para derramar em caixas as azeitonas.

Mas existem inovações no setor:

“Vassoura” com pá para azeitonas

Não fazemos a menor ideia se isso funciona…

Qualquer que seja a forma escolhida, as azeitonas merecem ser bem tratadas, pois assim suas propriedades são melhor preservadas.

O mesmo se aplica as oliveiras que poderão alimentar e curar várias gerações durante sua existência.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!