O cultivar Borrenta é um dos 30 autóctones (nativos) registrados em Portugal, e um dos 19 com importância comercial.

Origem e difusão

Até 2013 existia uma região em Portugal chamada de Alto Trás-os-Montes que foi desmembrada em Alto Tâmega e Terras de Trás-os-Montes.

Antiga e nova região de Trás-os-Montes
Região de origem do cultivar Borrenta: Trá-os-Montes

Na Espanha

Como explicado em algumas publicações, mas mais especificamente em “Oliveiras de Portugal – Parte I”, as oliveiras da Península Ibérica se desenvolveram a partir de espécies trazidas por Fenícios, Romanos e Árabes. Logo a questão da fronteira entre Espanha e Portugal para separação dos cultivares, não é tão simples. São vários com nomes diferentes em cada país. Isso ocorre com a Borrenta, chamada de Lentisca e difundida de forma espaçada em Badajoz e Huelva, ambas zonas fronteiriças com Portugal. A pesar do nome e a presença em território espanhol, a origem do cultivar foi confirmada como portuguesa, mais específicamente na região que hoje é chamada de Trás-os-Montes.

Origem do Nome

Mesmo buscando entender se o nome é uma referência a algo que manche, não encontramos informação segura que garanta essa hipótese. Ficamos abertos a sugestões e indicações até podermos constatar in loco essa suposição.

Outros nomes – Sinônimos

Borraceira, Borreira, Bronhenta, Carrasca Bical, Carrasca Negral, Corlideira, Durazia, Lentilheira, Passareira, Salgueira, Seral, Lentisca, Lentrisca, Lentrisca, Zambulha.

Principal vocação

Todos registros apontam sua utilização exclusiva para produção de azeite, contudo, provavelmente, é possível fazer conserva com a mesma.

A Árvore

  • Vigor: Baixo
  • Copa: Aberto – entre nós de tamanho médio: de 1 a 3 cm.
  • Densidade da folhagem: Baixa.
  • Produtividade: Alta.
  • Regularidade: Baixa, ou seja: muito sujeita a bianualidade.
  • Entrada em produção: Média.

Estresse biótico e abiótico

  • Frio: Resistência média-alta (4 de 1 até 5).
  • Tuberculose: Resistência média-baixa (2 de 1 até 5).

Floração

  • Comprimento: Médio (25 a 35mm).
  • Número de flores: Baixo (<18).

Folha

  • Formato: Elíptico-lanceolado
  • Comprimento: Médio (5 a 7 cm).
  • Largura: Média (1,2 a 1,5cm).
  • Curvatura longitudinal: Epinástica.
  • Cor (em cima / embaixo): Verde-escura / Acizentada.
Folha cultivar Borrenta
Frente e dorso cultivar Borrenta

Fruto

  • Tamanho-Peso: Médio (± 3 g).
  • Formato: Alongado.
  • Maior diâmetro: Centro.
  • Parte superior: Arredondado.
  • Parte inferior: Truncado.
  • Quantidade de lenticelas: Muitas.
  • Tamanho lenticelas: Pequenas
  • Mamilo: Ausente.
  • Relação fruto/caroço: Médio.
  • Época de amadurecimento: Cedo.
  • Desprendimento: Difícil.

Caroço

  • Peso: Elevado (± 0,6 g).
  • Formato: Elíptica.
  • Simetria: Posição A assimétrica / Posição B simétrica.
  • Maior diâmetro: Centro.
  • Parte superior: Pontuda.
  • Parte inferior: Truncada.
  • Superfície: Rugosa.
  • Número de sulcos fibrovasculares: Alto (> 10) com distribuição uniforme.

Rendimento graxo

Baixo (± 15 %)

Demais informações

A região mais provavel do surgimento da Borrenta foi em Trás-os-Montes, contudo é difundida por todo Portugal. Na Espanha é conhecida como Lentisca.

A azeitona começa sua maturação pelo ápice, e quando totalmente madura assume a cor negra.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!