Existe um ditado que diz “O Mediterrâneo acaba quando acabam as oliveiras”. Apesar de ser uma visão romântica, nesse caso não poderia ser mais verdade, pois o país tem parte do seu território banhado pelo Mediterrâneo e parte pelo Oceano Atlântico. É o país mais a oeste da África produtor de azeitonas e azeites.

Principais oliveiras do Marrocos

Apesar da Bouchouika e da Bouchouk serem importantes comercialmente no país, pouco existe documentado sobre elas, principalmente sobre a Bouchouika.

No total são 40 cultivares autóctones (nativos) no Marrocos, destacando-se em área cultivada: Picholine Marocaine e Meslala. Dessas duas, apenas a Picholine Marocaine possui o status de “grande importância”.

Olives of Morroco
Mercado de azeitonas no Marrocos

Além das duas acima, restam apenas nossas oliveiras tema dessa publicação.

Nomes e usos

Names and uses
Nomes e usos

Observação: A Argélia reinvindica a Bouchouk, sob nome de Bouchouk de Soummam, como sendo nativa de uma região do norte do país. Inclusive na Argélia existem mais dois cultivares conhecidos como Bouchouk: Bouchouk Guergour e Bouchouk Lafayette.

Áreas de cultivo

Locais dos olivais

Principais utilizações

Main uses
Principais usos

Morfologia

A única informação localizada sobre a Bouchouika foi um o aspecto de comportamento agronômico quanto ao enraizamento que é médio quando induzido.

BOUCHOUK morphology - tree and flowering
Morfologia BOUCHOUK – Árvore e Floração
Morfologia BOUCHOUK – Fruto (azeitona)
BOUCHOUK morphology - Stone
BOUCHOUK morfologia – Caroço

Características Agronômicas

A exemplo das “morfologias”, não foram encontradas informações sobre características agronômicas da Bouchouika.

Agronomic characteristics BOUCHOUK
Características agronômicas da BOUCHOUK

Suscetibilidades bióticas

As “suscetibilidades”, ou “estresses”, são medidas em índices de “1” a “5”, onde “1” é muito pouco sensível, e “5” muito sensível. Quanto mais baixo o índice, mais resistente a árvore.

Localizamos apenas informação quanto a sensibilidade da Bouchouk quanto a “tuberculose”, sendo considerada Média-Alta (4).

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!