Existem dois cultivares com nome de Ascolana. Uma delas, a Ascolana Terena, já teve uma publicação. Agora é a vez da “Dura”. Ao final dessa publicação mostramos em uma tabela resumo a diferença entre os dois cultivares.

O nome, tanto da Terena quanto da Dura, advêm de sua origem: Província de Ascoli a leste do território Italiano.

Origem e tamanho da cultura

Cultivar originário da região de Marche, mais especificamente da província de Ascoli Piceno, contudo encontrada em toda região e outros países, como Argentina e Marrocos.

Marche é uma região que fica a leste na Itália. Está entre os Montes Apeninos e o Mar Adriático. Sua capital é Ancona. Possui 1,5 milhão de habitantes em uma área de 9.401 Km², sendo que desta área 97,3% está sob risco de terremotos, ou seja 230 cidades. Terra de várias “celebridades” dentre elas 7 papas, do compositor Gioachino Rossini, do poeta Giacomo Leopardi, pintor e arquiteto Rafael Sanzio, dentre outros.

Área plantada e outras variedades da região.

Não existem informações seguras quanto ao plantio especificamente da variedade Ascolana Dura, contudo na região de Marche o plantio de oliveiras em 2014 correspondia a 7.421 hectares, um crescimento sobre o ano de 1998 de 5,7%. As outras variedades da região de Marche são:

VARIEDADEUSOPROVÍNCIA PRINCIPAL
Nostrale di RigaliAzeite e Mesa 
Oliva grossaAzeite e MesaMacerata
OrbetanaAzeite e MesaMacerata
PendolinoAzeite 
Piantone di FaleroneAzeiteAscoli Piceno e Macerata
Piantone di MoglianoAzeite e MesaMacerata
RaggiaAzeite 
RaggiaAzeiteAncona
DrittaAzeite 
FrantoioAzeiteAncona, Ascoli Piceno, Fermo, Macerata, Pesaro e Urbino
LeaAzeiteAscoli Piceno
Leccio del cornoAzeite 
MaurinoAzeite 
MignolaAzeite 
MignolaAzeiteAncona, Ascoli Piceno e Macerata
MignoloneAzeite 
MoraioloAzeiteAncona, Ascoli Piceno, Macerata, Pesaro e Urbino
Nebbia del MenocchiaAzeiteAscoli Piceno
Ascolana teneraAzeiteAscoli Piceno
CapolgaAzeitePesaro e Urbino
CarbòAzeiteMacerata
CarboncellaAzeiteAscoli Piceno e Macerata
CornettaAzeiteAscoli Piceno
CoroncinaAzeite 
CoroncinaAzeiteMacerata
RaggiolaAzeitePesaro e Urbino
Rosciola Colli EsiniAzeiteAncona
SarganellaAzeiteAncona
Sargano di FermoAzeiteAncona, Fermo e Macerata
Sargano di San BenedettoAzeiteAscoli Piceno
ZampelloAzeiteMacerata

História

A variedade é considerada autóctone da Província de Ascoli Piceno. Sem considerar a polêmica existente quanto ao berço das oliveiras, esse cultivar é tipicamente Italiano.

Sinônimos e nomes atribuídos erroneamente

Sinônimos: Ascolana Semidura, Ascolana Semitenera, Oliva di San Francesco.

Nome atribuído erroneamente: Gentile

Principal uso

Azeitona de mesa colhidas no início de outubro – hemisfério norte, e eventualmente utilizada na produção de azeite com os frutos mais maduros, colhidos em novembro.

Um dos principais tira gosto da região de Marchem, na Itália, é a azeitona empanada.

Características da árvore

Ascolana Dura

Árvore de vigor médio. Tende a ter um comportamento verticalizado com baixo volume, contudo denso. Os galhos responsáveis pela frutificação são alongados, delgados e ramificados.

É uma variedade auto estéril, ou seja: precisa de outros cultivares para polinização e frutificação.

Possui média produtividade com alternância boa (baixa). Enraizamento médio.

Morfologia

Folhas

Com a cor na parte superior verde escura e inferior verde grigio. Ranhuras com internódios curtos verde pálido com tons amarelados. Possui o formato elíptico lanceolado e curvatura longitudinal plana, em forma de meia-lua. Largura máxima da folha no meio. Folha com a porção apical pontuda e basal muito pontuda.

Superfície: Grande (5,33 cm² ± 0,17), Comprimento: longa (6,95 cm ± 1,69), largura máxima: média (1,18 cm ± 0,15).

Inflorescência

Possui uma estrutura compacta e de ramificação média. Comprimento médio (2,8cm ± 0,08 ). Largura estreita ( máximo 1,13cm ± 0,04). Comprimento do pedúnculo médio (0,94cm ± 0,03) e número de flores baixo (média 16,95 ± 0,54 )

Azeitona

Com formato ovoide é semi-simétrico. O maior diâmetro fica no centro do fruto. Formato do ápice é arredondado e base truncada / achatada.

Seu pedúnculo é grande e grande e profundo. A pele é áspera.

O peso é alto. Em média cada azeitona possui 4,93g ± 0,3. Quando cortada longitudinalmente a azeitona tem uma área grande de 3,85 cm² ± 0,05.

Quando cortado transversalmente, a secção apresenta uma área de 2,6 cm² ± 0,02. Diâmetro transversal máximo de 1,95cm ± 0,02.

A cor dos frutos começa verde com um intenso lenticelado, indo a violeta quando maduro.

Caroço

Possui o formato Elipsóide (elíptico + ovoide) e semi-simétrico. Seu maior diâmetro encontra-se no meio deslocado para o ápice.

Sua superfície é ondulada devido aos profundos sulcos fibrovasculares no sentido longitudinal. Possui a base truncada e o ápice cônico
São muito numerosos os sulcos fibrovasculares. Em torno de 10,6 ± 1,56. Com peso muito alto de 1,11 g 1,06. Secção de superfície longitudinal grande de 1,21 cm² ± 0,02. Diâmetro longitudinal longo com 1,82 cm ± 0,02. Diâmetro transversal máximo largo com 0,98 cm ± 0,03.

Observação: As medidas relacionadas ao fruto e seu caroço forma obtidas através da média obtida com a média da amostra de 100 unidades.

Azeite

Como comentado anteriormente, a maior demanda dessa variedade é para produção de azeitona de mesa, mas quando utilizada para produção de azeite, observa-se óleo frutado herbáceo, com sabor predominantemente doce. Sua cor é verde tendendo a amarelo. Bastante fluido e com um bom conteúdo de ácido oleico.

Características físico-químicas

Ácido palmítico: 11,31% ± 1,74
Ácido palmitoléico: 2,52% ± 0,04
Ácido esteárico: 1,44% ± 0,05
Ácido oleico: 76,42% ± 0,84
Ácido linoleico: 6,35%% ± 0,43
Ácido linolênico: 0,68% ± 0,05
Proporção de ácidos graxos insaturados / saturados: 7,43 ± 1,50
Polifenóis totais: 455,55mg/Kg ± 77,95
Clorofilas totais: 7,68ppm* ± 3,09

* Parte Por Milhão: Ou seja 10 ppm significa que em um milhão de partes, 10 são do tipo definido.

Características agronômicas

Em estudos na Europa, a variedade apresentou um rendimento de 40 a 60 Kg de azeitonas por árvore em regime de rega ou com chuvas adequadas.

Dentro da mesma escala de 0 a 5, é considerada de rusticidade “2”.

Adequada para altas densidades de plantio com um sistema de poda em vaso monocônico ou policônico. Devido a relativa facilidade de desprendimento, pode-se utilizar derriçadeiras ou outro meio mecânico na colheita.

Comparação entre Ascolanas (Terena e Dura)

Ambas são italianas, uso principal mesa e com importância agronômica 2 – produz para o mercado, mas de maneira mais local, em todas localidade onde produz.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!