Switzerland Flag
Bandeira da Suíça

Como de costume, informamos o nome do país em seu idioma oficial. Neste caso são “4”, além um “dialeto” suíço-alemão. AlemãoSchweiz;  Suíço-alemãoSchwyz ou Schwiiz; FrancêsSuisse; ItalianoSvizzera; RomancheSvizra.

Observação: O idioma Romanche, ou reto-romanche, ou ainda grisão. É uma língua românica do ramo ocidental, que se acredita descender do latim vulgar (vulgata) falado pelos romanos, que ocuparam a área durante seu Império. Apesar de ser menos falado que outros idiomas presentes na Suiça, apenas 35 mil pessoas como primeiro idioma e outras 40 mil como segundo idioma, foi oficializada em 1938. Outros idiomas mais falados que o Romanche: Servo-croata e o Português, trazidos por imigrantes.

Onde cada idioma predomina

Geographical distribution of languages in Switzerland
Distribuição geográfica dos idiomas na Suíça

Características gerais

A Confederação Suíça, nome oficial, é uma república federal composta por 26 estados, chamados de cantões. Sua capital é a cidade de Berna.

Com apenas 41.285 Km², menor que o estado do Rio de Janeiro, sendo que 1.520 Km² são cobertos por águas. A Suíça está localizada no centro do continente europeu.

A maior cidade com aproximadamente 382 mil habitantes é Zurique. Sua capital, Berna, conserva aspecto das vilas medievais, inclusive uma catedral impressionante.

Organismos internacionais sediado na Suíça

Em Berna se encontra a União Postal Universal (UPU – ONU).

Outra cidade importante é Genebra que concentra a sede de vários organismos internacionais, como a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a Fórum Econômico Mundial, Organização Mundial da Saúde (OMS), a Cruz Vermelha, Organização Mundial do Comércio e a Organização Internacional para Padronização (ISO).

Ainda na Suíça: Possui o segundo maior escritório das Nações Unidas. Foi um dos fundadores da Associação Europeia de Comércio Livre e parte integrante do Acordo de Schengen (convenção entre países europeus sobre uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas entre os países signatários. Nos desportos abriga as sedes do COI, FIFA, UEFA, FIBA, FIVB.

Onde fica a Suíça

O país está situado na Europa Central. Ao Norte faz fronteira com a Alemanha, ao Oeste com a França, a Leste com a Áustria e o principado de Liechtenstein, e ao Sul com a Itália.

Switzerland Location
Localização da Suíça

Extremos de latitude:

  • Ponto mais setentrional – Bargen, no cantão de Schaffhausen: 47° 48′ 29,75″ N, 8° 34′ 04,43″ L.
  • Ponto mais meridional – Chiasso, no cantão de Tessino: 45° 49′ 04,91″ N, 9° 00′ 59,34″ L.

É justamente no cantão de Tessino, ou Ticino, onde está localizada a cidade de Lugano e onde as oliveiras são cultivadas, bem como ocorre a produção de azeite na Suíça.

Cantons of switzerland
Cantões da Suíça

Observamos que o Sul da Suíça está ligeiramente fora da faixa tradicional de cultivo das oliveiras: De 30º a 45º, tanto Norte quanto Sul.

História

Aproximadamente em 500 a.C. muitas tribos celtas espalhavam-se pelo centro da Europa, especialmente ao Norte. Dentre eles os Helvétios, nome até hoje para referenciar a Suíça.

Obs.: Confœderatio Helvetita (CH) é a designação oficial em latim do país.

Os Helvécios eram avançados na técnica de joias e outras peças pequenas. Isso ficou evidenciado através de pesquisa arqueológicas no Lago Neuchâtel.

Quando os Helvécios tentaram expandir sua área de domínio em direção ao Sul no ano de 58 a.C., foram derrotados pelo exército romano sob o comando de Júlio Cesar.

O domínio do atual território Suíço pelos romanos começou a ruir no ano de 284 d. C. Algumas fontes indicam que o domínio durou até o ano de 400 d.C. o que é improvável, posto a queda do Império Romano do Ocidente ter ocorrido em 395 d.C. Durante a dominação romana 125 cidade forma fundadas, algumas das que sobreviveram e tornaram mundialmente conhecidas: Genebra, Zurique, Basileia, Lausanne e Martigny.

Lake Geneva
Lago de Genebra

Com a queda do Império Romano, o território foi invadido por tribos germânicas, sendo as principais, os Burgúndios e Lombardos. No século VIII, os Burgúndios e os Alamanos entraram na coalizão dos Francos de Carlos Magno, permitindo a entrada dos missionários católicos nos territórios controlados pelos Alamanos.

Em 1º de agosto de 1291 os cantões Uri, Schwyz e Unterwalden se juntaram e criaram a Confederação Helvética, também conhecida como “Liga Perpétua”, formando o embrião da unidade nacional Suíça.

Evolution of the Perpetual League or Helvetic Confederation
Evolução da Liga Perpétua ou Confederação Helvética

Uma das ações da Confederação foi a abertura da estrada de São Gotardo que serviu de união entre as populações que viviam nas planícies e nas montanhas. Vários cantões se juntaram a Confederação Helvética, dentre eles Lucerna (1332), Zug (1352), Zurique, Berna e Glarona (1353). Assim foi consolidada a confederação com oito Estados-Membros.

Gotthard Road
Estrada de São Gortardo

Com a criação da Confederação no ano de 1291, a Suíça enfrentou períodos de turbulência:

Calvino
  • 1315, a Liga Perpétua derrota os austríacos;
  • 1386 – 1388, já com outros 5 cantões aderidos a Liga rechaça outro ataque dos austríacos, e cria uma federação de regiões soberanas;
  • 1499, reconhecimento de sua independência pelo Sacro Império Romano-Germânico;
  • 1519, Ulrich Zwinglio, vigário da Catedral de Zurique, inicia a Reforma Protestante da Suíça após ataque às práticas da Igreja Católica;
  • 1536, João Calvino introduz o protestantismo tornando-se posteriormente chefe de um Estado teocrático.
  • Séculos XVII e XVIII: Revoltas populares em manifestação contra a corrupção praticada pelas famílias ricas.

Em 1761 foi criada a Sociedade Helvética em Zurique. Todos os anos os membros reuniam-se no Cantão de Argóvia para debater sobre o passado e o futuro da Confederação.

Em 1789 a Revolução Francesa de 1789, com a queda da Bastilha, os suíços começaram a questionar o sistema político em vigor. Em 1792 Revolução de Genebra, que levou à promulgação em 1794 de uma nova Constituição.

Em 12 de Abril de 1798 foi proclamada a República Helvética com a participação de 120 membros dos Cantões de Argóvia, Basileia, Berna, Friburgo, Vaud, Lucerna, Schaffhausen, Solothurn e Zurique. Sua constituição foi inspirada na constituição francesa criada após a revolução francesa.

Helvetic Republic
República Helvética

Sem maiores detalhes, a Revolução Francesa foi autofágica e dentro do processo de contradições e tentativas Napoleão Bonaparte foi empossado. Apesar de recusar o título de Imperador, o foi. Napoleão ordenou que a nova república fosse invadida e desarmada, contudo, com sua queda após sua derrota na Batalha de Waterloo a Suíça voltou ao sistema federativo

Durante o século XIX o país evoluiu para uma democracia moderna. Seu posicionamento de neutralidade fez com que o país não se envolvesse em nenhuma guerra externa desde 1815. Mesmo durante o período dos Grandes Conflitos Mundiais, posição está facilitada pelo isolamento geográfico gerado por suas montanhas… bem, essa é uma resposta parcial, pois caso a Suíça tivesse poços de petróleo, ou outro mineral de interesse para a guerra, assim como uma saída para mar estratégica, certamente teria sido envolvida nos conflitos.

Em 1847 ocorreu uma guerra civil, a Guerra de Sonderbund, entre liberais-radicais e conservadores por causa de questões religiosas.

Sonderbund War - 1847
Guerra de Sonderbund – 1847

Em 1948, após os conflitos internos, foi definida uma nova Constituição Federal, com base na existente nos Estados Unidos da América, ocorrendo a adoção da Declaração dos Direitos Humanos, duas câmaras parlamentares (Senado e Câmara Federal). Também foram definidos o Governo Federal e um tribunal de Justiça Suprema.

A nova Constituição foi aceita por quatorze cantões e mais metade do de Basileia (Campo), e Berna passou a ser a capital do país. A primeira grande revisão da constituição ocorreu em 1874.

Na metade do século XIX, a Suíça começou a desenvolver sua indústria, assim como a Inglaterra, na chamada “Revolução Industrial”. Foi um dos primeiros países a tomar essa iniciativa.

Mais recentemente

Apesar de fazer fronteira com países envolvidos nas duas Grandes Guerras, especialmente Alemanha e Itália, não foi invadida em nenhuma delas, pelos motivos já explicados acima.

A sua neutralidade foi posta em causa com o Escândalo Grimm-Hoffmann, em 1917. Mas sem um envolvimento direto.

A Suíça tem sido referência para a liberdade na Europa Ocidental, assegurando os direitos do Homem e fortalecendo a sua independência.

Em 1958, a Suíça garantiu o direito ao voto às mulheres, primeiro a nível cantonal (Valais) e depois a nível federal, em 1971. O último cantão a reconhecer o direito às mulheres de votar foi Appenzell Interior em 1990. Em 1978, foi criado o último cantão helvético, o Jura, após a separação de vários territórios ao longo do cantão de Berna.

Em 1977, crescem as críticas ao sistema bancário sigiloso que faz da Suíça um paraíso fiscal e o centro de lavagem de dinheiro ilegal. Porém, em 1982, um plebiscito rejeitou o fim do sigilo bancário.

A suíça teve negada sua participação no Espaço Econômico Europeu (EEE) em 1992, pois precisava de uma aprovação interna e em todos referendos a população votou de forma contrária. Apesar disso a Suíça, ainda em 1992, implementou um plano de revitalização econômica, onde dentre outras medidas ocorreu o estímulo ao comércio, equiparação de preços aos demais países europeus e corte dos subsídios agrícolas.

Em 2002 a Suíça passa a fazer parte das Nações Unidas.

Em 5 de junho de 2005, a população suíça aprovou a integração ao Espaço Schengen – uma convenção entre países europeus sobre uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas entre os países signatários.

Curiosidades sobre a Suíça

  • O porte de arma é permitido, o que é estranho para um país conservador e voltado a humanidade em geral;
  • O consumo de drogas injetáveis (como heroína) é permitido, contudo deve ocorrer em instituições públicas sob acompanhamento de médicos e enfermeiros. Visa retirar as pessoas da rua e tratar a questão como um problema de saúde pública;
  • Só é proibido vender maconha e haxixe, mas cultivar, consumir e distribuir, não. Quanto a drogas injetáveis: O governo distribui seringas;
  • Negar crimes contra a humanidade, inclusive genocídio, é crime;
  • A eutanásia é permitida, ou seja: pessoas podem cometer suicídio de forma assistida;
  • Diversas leis protegem os animais, dentre elas estímulo a adoção de animais domésticos apenas em pares, como papagaios, cacatuas, porquinhos da índia, e outros, sob a alegação de que são animais sociáveis. Caso um bichinho do par morra, existe um serviço de aluguel para dar companhia ao sobrevivente. Também é proibido abater inadequadamente um bicho, como por exemplo: jogar um peixinho na privada. Também é obrigatório atordoar os animais antes do abate para o consumo, inclusive lagostas e crustáceos;
  • O país é uma referência na produção de chocolate, apesar de não produzir cacau. São mais de 180 mil toneladas por ano;
  • É permitida a nudez pública;
  • É permitido baixar música e vídeo, contudo não pode distribuir;
  • Proteção ao silêncio: Diferente do Brasil, onde igrejas fazem alvoroço, carros andam com músicas altas… na Suíça fazer barulho, como bater a porta de um carro depois das 22h, lavar o carro no dia de domingo, ou outro maior barulho, pode ser considerado crime. Em prédios mais antigos, com menor proteção acústica, é proibido dar descarga no vaso sanitário após às 22:00h;
  • A bandeira merece menção, pois parece o símbolo de hospitais, ambulâncias, clínicas, mas ao contrário, ou seja: O branco no vermelho e vice-versa. Esse desenho foi definido na Constituição Suíça de 1848, e apareceu inicialmente como emblema do cantão de Schwytz, um dos fundadores da Confederação Suíça, em 1291. A cruz representava a liberdade que o império concedia aos habitantes daquela região. A maior curiosidade é a bandeira da Cruz Vermelha Internacional é o oposto da bandeira da Suíça, tal como em hospitais, etc.. O motivo é que seu criador, o general Guillaume-Henri Dufor, foi um militar suíço e co-fundador do movimento humanitário.

Observação: A Cruz Vermelha originou-se da iniciativa de um homem chamado Henry Dunant (general suiço), que ajudou os soldados feridos na batalha de Solferino, em 1859, e depois fez um lobby junto aos líderes políticos para adotarem mais medidas de proteção das vítimas da guerra. Foi fundada em 1863, na cidade de Genebra.

Red Cross - Switzerland
Cruz Vermelha – Bandeira da Suíça

Toda civilização guarda seu “Q” de estranheza aos olhos de fora. A Suíça não é diferente…

Alpine Horn
Trompa Alpina

Economia

Fonte: aboutswitzerland.org

Swiss Economy Table
Quadro sobre economia da Suíça
  • Com o seu produto interno bruto (PIB) por habitante, a Suíça encontra-se no quinto lugar ao nível mundial. No final de 2015, isso correspondia a 77.943 CHF (cerca de 73.000 EUR ou 81.000 USD).
  • Cerca de 74% do PIB corresponde ao setor dos serviços, a indústria contribui com outros 25%, enquanto que menos de 1% corresponde à agricultura.
  • A União Europeia é o parceiro comercial mais importante da Suíça. Cerca de 78% das importações provém da UE, 43% das exportações destina-se a países da UE.
  • A grande maioria das empresas suíças (mais de 99%) são empresas de pequeno e médio porte (PMP) com menos de 250 funcionários.
  • A dívida pública da Suíça diminuiu significativamente nos últimos anos. De 54,6% do PIB, em 1998, desceu para 34,7%, em 2014.
  • A Suíça possui a taxa mais reduzida de IVA de toda a Europa. 8% é aplicado na maioria de todos os bens e serviços, para os serviços de alojamento a taxa é de 3,8% e para todos os bens de consumo diário é de 2,5%.
  • A Suíça despende, anualmente, mais de 18,5 bilhões CHF (sensivelmente 15 bilhões de EUR, ou 20,6 bilhões USD) em pesquisa e desenvolvimento, o que corresponde a praticamente 3% do PIB. Mais de três quartos deste montante são gastos pelo setor privado.
  • A moeda suíça é o franco suíço. Ela é composta por 100 cêntimos. O seu símbolo monetário é CHF ou Fr.

População

Apesar da Suíça ser um país desenvolvido e um dos melhores para se viver, a população continua crescendo sem previsão de queda.

Em 2021 são previstas 8.715.494 pessoas e chegando a mais de 11 milhões em 2100.

Swiss population growth
Crescimento da população Suíça

Apenas 10% da população ocupa-se com atividades agropecuárias, de um total de 26,2% habitantes em áreas rurais. A maior parte da população residi em cidades e trabalhando na prestação de serviços.

Distribution between rural and urban population
Distribuição entre população rural e urbana – FAOSTAT

Religião

Catolicismo (46,2%), Protestantismo (40%), Islamismo (2,2%), Catolicismo Ortodoxo (1%), Judaísmo (0,3%), outras (10,3%).

Produção agrícola

Fonte: FAOSTAT – ONU

A FAO não lista a colheita de azeitonas, assim como também não o faz o IOOC, provavelmente pelas características e volume de produção, que veremos mais a seguir.

Segundo a FAO, no ano de 2019 os principais produtos colhidos em Toneladas métricas, foram:

Switzerland's main agricultural products
Principais produtos agrícolas da Suíça
Switzerland's main agricultural products
Principais produtos agrícolas da Suíça

Origem das oliveiras na Suíça

Não há registro do cultivo das oliveiras na Suíça, contudo o que se sabe é que há bem mais de 300 anos as oliveiras eram cultivadas em Gandria, que na época era uma cidade autônoma do cantão de Tessino, ou Ticino. Tornou-se um bairro da cidade de Lugano em 2004.

Pela falta de contato com outro país que possua maior tradição na olivicultura, e pela ausência de litoral – que no mediterrâneo foi uma grande estrada disseminadora da cultura-, podemos supor que as primeiras mudas vieram da Itália. Ideia reforçada pela dominação Romana.

Gandria já possuía tradição na fabricação de azeite, quando no ano de 1709 um rigoroso inverno, fora da normalidade, matou quase todas as oliveiras de Gandria.

Gandria - Lugano district
Gandria – bairro de Lugano

Onde estão as oliveiras atualmente?

Locais com Oliveiras em Ticino

Certamente apenas no cantão de Ticino, ou Tessino, o mais ao Sul e com clima mais “quente” e com o terreno com a fase voltada para o Sul – maior insolação no hemisfério Norte. Segundo um relatório de 2005, são 4 lugares:

  • Coldrerio: Uma comuna ao Sul no cantão de Ticino, onde forma plantadas 21 oliveiras em 1991, tornando o lugar conhecido como colina das oliveiras. Em 2005 a quantidade de árvores cultivadas era de 350.
  • Castelrotto: A oeste de Lugano onde eram cultivadas 100 oliveiras.
  • Gandria: Bairro de Lugano, a leste, onde eram cultivadas 200 oliveiras.
  • Lugano: No “Parque das Oliveiras”, onde eram cultivadas 30 oliveiras.

Lugano

Lugano, cidade capital do cantão de Ticino, é o local mais visitado na região, e onde encontra-se o Parque das Oliveiras” com placas explicativas sobre a cultura. Suas temperaturas são suportáveis para as Oliveira e possuem insolação de suas costas em torno do lago de mesmo nome, voltadas ao Sul.

Average temperature and precipitation in Lugano
Temperatura e precipitação média em Lugano

O destaque fica para o Parque das Oliveiras.

Para saber mais sobre o Parque das Oliveira, Olivicultura e Produção de Azeite na Suíça, assine Patreon e acesse:

https://olivapedia.com/oliveiras-pelo-mundo-suica-patreon/

Para se tornar um assinante Patrono da Olivapedia, acesse: www.patreon.com/olivapedia.

Liked it? Take a second to support MAURO JOSE DE MENEZES on Patreon!